quarta-feira

Guerra dos Mundos (Júnior)
















Exibido em: 01/07/06
NOTA: 9,0
Comentários:
Guerra dos Mundos é um Spielberg clássico, trazendo dois de seus elementos favoritos e que estiveram em filmes memoráveis como E.T. e Contatos Imediatos do Terceiro Grau : uma família partida de um lado, alienígenas do outro. A dinâmica da família é embalada com humor e naturalidade, já as sequências dos ataques dos aliens são conduzidas com maestria técnica e efeitos visuais de cair o queixo. Spielberg é especialista em manipular imagens e sons para estabelecer suspense e excitação, ele não me decepcionou, criando sequências memoráveis como o surgimento do primeiro tripod; do terremoto que o precede à sinistra sirene que ele emite antes de atacar, numa referência ao seu Contatos Imediatos. Existem diversas outras citações ao longo da projeção, onde Spielberg se permitiu a auto-referência. Mas do deslumbramento inicial ele segue causando o máximo de efeito aterrorizante possível para um filme nessa faixa etária. Pensem na sequência do T-Rex em Jurassic Park, mas extendida em uns quarenta minutos.
Diferente de Independence Day e como no livro de Wells, a guerra é mostrada apenas do ponto de vista da família e a câmera está sempre no nível das pessoas o que torna a ação muito mais pessoal e os gigantescos tripods muito mais ameaçadores. Apesar de suas pretensões não serem maiores do que faturar na época do verão americano, Guerra dos Mundos é um filme pipoca diferente dos demais pelo tom depressivo que ele sustenta e pelo conteúdo alegórico trazido pela obra de Wells. Existe até uma provocação ao próprio cinema espetáculo na cena onde em vez de mostrar uma épica batalha ocorrendo atrás de uma colina, Spielberg prefere fugir com seus personagens para um porão, negando o que poderia ser uma gratuita cena de efeitos especiais.
Spielberg manteve-se fiel ao livro no aspecto de a razão pelo qual os alienígenas são derrotados permanece sendo os germes presentes na nossa atmosfera. Lembrem-se que os alienígenas são mais uma alegoria à opressão aos mais fracos, então é relevante que eles sejam derrotados pela criatura mais simples que existe. E que sua arrogância os leve a ignorar uma ameaça aparentemente insignificante.

É impossivel assistir Guerra dos Mundos e não lembrar de outro filme sobre uma invasão alienigena vista pelos olhos de uma familia comum: Sinais, de M. Night Shyamalan, fã declarado de Spielberg. E por consequencia, comparar ambos os filmes, e aí o fime de Shyamalan ganha... Mas é legal ver a "citação" que Spielberg faz a Shyamalan em Guerra dos Mundos, quando a reporter pergunta se Tom Cruise estava no avião que caiu e esse responde que não: "Que pena, isso daria uma bela história..." (Corpo Fechado?)

Como bônus, o casal que interpreta os avôs das crianças em Boston, onde Ray encontra Mary Ann e Robbie vivos, são os protagonistas do filme de 1953.

(Chuck Norris)

Elenco:
Tom Cruise (Ray Ferrier)
Justin Chatwin (Robbie Ferrier)
Dakota Fanning (Rachel Ferrier)
Tim Robbins (Ogilvy)
Miranda Otto (Mary Ann Ferrier)
David Alan Basche (Tim)
Yul Vazquez (Júlio)
Morgan Freeman (Narrador - voz)
James DuMont
Daniel Franzese
Ann Robinson

Sinopse:
Ray Ferrier (Tom Cruise) é um homem divorciado que trabalha nas docas. Ele não se sente à vontade no papel de pai, mas precisa cuidar de seus filhos, Robbie (Justin Chatwin) e Rachel (Dakota Fanning), quando eles lhe fazem uma de suas raras visitas. Pouco após eles chegarem Ray presencia um evento que mudará para sempre sua vida: o surgimento de uma gigantesca máquina de guerra, que emerge do chão e incinera tudo o que encontra. Trata-se do primeiro golpe de um devastador ataque alienígena à Terra, que faz com que Ray pegue seus filhos e tente protegê-los, levando-os o mais longe possível das armas extra-terrestres.

Baseado no livro: "Guerra dos Mundos" de H.G. Wells

Curiosidade:
O Proprio ator Tom Cruise estava controlando o guindaste da primeira cena do filme.
Este é o 2º filme em que o diretor Steven Spielberg e o ator Tom Cruise trabalham juntos. O anterior foi Minority Report - A Nova Lei (2002).






Nenhum comentário: